Uma integração de sistemas é a combinação de vários componentes para formar um sistema maior de funcionamento. O sucesso e a funcionalidade do processo resultante é determinada pela maneira como os subsistemas vão cooperar. A integração de sistemas envolve a integração de subsistemas existentes, cada um com suas próprias interfaces.

A integração ocorre quando os subsistemas são unidos através das interfaces para que eles possam ser controlados de forma mais eficiente ainda numa interface mais abrangente. Um dos aspectos mais importantes da integração de um sistema é a avaliação do sistema após a reunião de subsistemas, assim será possível conferir se o processo obteve êxito. Para que a integração possa valer a pena, o tempo, a energia e dinheiro gasto com ela combinando os vários componentes, dará como resultado final um sistema que funciona de forma rápida e sem problemas.

As funções individuais dos diferentes subsistemas devem tornar-se secundárias para o objetivo maior do sistema. A integração de processamentos podem ser aplicados nas redes de computadores, sistemas de automação, robótica e muito mais. É um campo amplo que está em constante desenvolvimento, porque a tecnologia utilizada continua mudando e avançando Os engenheiros e especialistas precisam se adaptar constantemente às novas situações, problemas e soluções.

As integrações de sistemas frequentemente envolvem equipamentos e sistemas de desenho, projetos de controles, desenhos assistidos por computador (CAD), manufatura auxiliada por computador (CAM), instalação de equipamentos, em protótipos, processo de desenvolvimento, suporte “on-site’, treinamento no local, sistemas “turnkey” ou vire a chave, desenvolvimento de processos e projeto de ferramental. A integração de sistemas pode ser usada em muitos cenários. Para as empresas como um todo, existem três tipos principais de integração de sistemas que são mais conceituais e geralmente não trabalham nas fábricas ou instalações industriais. O primeiro é chamado de integração vertical e é usado principalmente nas empresas de produção e fabricação de equipamentos de pequeno porte. Já o processo de integração de subsistemas funciona de acordo com a função de cada componente e, em seguida, realiza o trabalho de agregá-los em "silos".

No entanto, integração ocorre quando cada subsistema é conectado aos outros, criando um sistema “web-like”. A integração horizontal ou “enterprise’ é um método onde um subsistema especializado na prestação de comunicação para outros subsistemas. Todas as interfaces de contato, barramento de serviços, podem ser então reunidos e traduzidos. Em termos de automação, de produção e outros sistemas físicos, não há praticamente nenhum efeito das diferentes maneiras que os vários equipamentos e máquinas podem ser integrados em um único sistema. Muito do que é determinado pelo tipo de processos são executados ainda na instalação. Se for uma instalação de fabricação de peças de metal, ela pode ter equipamentos como rolos, selos, cunhos, dobradeiras, fresadoras, retíficas, dobradores, jateamento e muito mais. Neste caso, a integração de sistemas remete para automação de máquinas onde as peças individuais do equipamento seriam modificados e programados para operar como uma única unidade controlada por uma interface em vez de etapas distintas de um processo.