Uma unidade de potência hidráulica é capaz de fornecer um fluxo pressurizado para cilindros hidráulicos, motores, e outros mecanismos movidos hidraulicamente. Elas diferem de bombas regulares na medida em que regulam a temperatura do fluido e possuem múltiplos estágios.

São parte integrante das máquinas que dependem de energia hidráulica para a operação e são muito utilizadas para aplicações fixas em painéis de testes em laboratórios ou portáteis para trabalho realizado no chão de fábrica, como testes de mangueira, além de sua utilização para testes em vávulas. Esses equipamentos podem ser fixos ou móveis, dependendo do tipo de instalação e de sua utilização dentro do ambiente requisitado. Podem ser montadas e entregues prontas para utilização, ou serem montadas no local de instalação. Alguns itens opcionais podem ser contidos no projeto destas unidades, como por exemplo, um reservatório que pode ter diversas capacidades, atendendo o requisito necessário para atender o processo, um conjunto lubrificante para o tipo de acionamento, válvulas para despressurização e equipamentos como manômetros.

Nela ainda uma bomba que aspira o fluido de um reservatório e envia para um determinado motor. O fluido move os componentes do motor, que por sua vez faz girar o eixo que fornece energia mecânica para o sistema. O líquido é então descarregado no reservatório, onde ele vai trabalhar o seu caminho de volta para a bomba e continuar o ciclo. Em cilindros hidráulicos, o próprio fluido hidráulico da câmara inferior do cilindro empurra a haste para cima, que empurra o líquido na câmara de outros cilindros, retornando para o reservatório. O movimento deste fluido pressuriza a câmara e estende o pistão em toda a sua extensão, dando ao cilindro hidráulico a capacidade de empurrar.