Nos próximos dias, Guilherme Laager, diretor de logística da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) vai para os EUA negociar a compra de 80 locomotivas novas. Essa compra (mais 40 locomotivas de segunda mão) faz parte do investimento de US$ 400 milhões anunciado para o próximo ano para a área de logística, que nos primeiros nove meses faturou R$ 1,1 bilhão só com serviços para terceiros.

Somando-se o transporte feito para a Vale, a logística equivale a 25% da receita da empresa. A carga de terceiros da Vale está atingindo 50 milhões de toneladas, 10 milhões a mais que em 2003. ''Não estamos crescendo mais por limitação de material rodante e infra-estrutura. É por isso que estamos investindo US$ 800 milhões em 2004 e 2005'', diz Laager.

A Vale inaugurou semana passada em Camaçari (BA), o Terminal Multimodal (Tercam), descrito como novo conceito para a área de logística da empresa. Vai reunir num mesmo espaço a Vale, outros parceiros e clientes de serviços variados de logística. O Tercam integra diversos modos de transporte, como ferrovia, rodovia e porto, além de serviços de navegação costeira e de longo curso. Outros centros de serviços estão previstos para Anápolis, Belo Horizonte, Campinas, Vitória e Recife.

Com área total de 280 mil metros quadrados, na primeira fase (já concluída com investimentos de R$ 10 milhões) o terminal baiano pode movimentar 100 mil contêineres/ano. Uma das operações será para a Ford da Bahia. A Vale fará a separação de mercadorias e o seqüenciamento de materiais para abastecer a linha de montagem com peças trazidas de São Paulo pela Ferrovia Centro Atlântica (FCA), uma das ferrovias da Vale.

Autor(es): Infomet

facebook      twitter      google+

Empresas
 Veja todas as noticias e artigos relacionados a Empresas